terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Uberabatitan

Uberabatitan ribeiroi cujo nome vem de Uberaba, em Minas Gerais, local onde foi encontrado, e o nome do pesquisador que o descobriu, o paleontólogo e geólogo Luiz Carlos Borges Ribeiro. Apesar do fato de que uma reconstituição facial do dinossauro seja impossível, pelo desconhecimento de ossos do crânio, os fosséis já são considerados um marco para a paleontologia brasileira. Foi um grande dinossauro saurópode herbívoro e quadrúpede do Período Cretáceo Superior (final do Cretáceo) considerado um dos maiores entre os saurópodes brasileiros já encontrados.
Ismar de Souza carvalho, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Leonardo Salgado da Universidade Nacional do Comahue, na Patagônia Argentina, foram responsáveis por descrever a espécie e publicar na revista "Palaeontology" uma matéria sobre o animal. Apesar disso fazem um certo segredo em relação à descoberta e já existem comentários de que estão produzindo uma réplica para ser mostrada ao público.
Os fósseis encontrados em Minas Gerais, na cidade de Uberaba não poderiam ser nomeados de outra forma a não ser como uma homenagem à cidade brasileira. O segundo nome da espécie é uma homenagem ao diretor do museu Llewellyn Ivor Price que fica em uberaba e apóia as pesquisas, como o diretor é Liz Carlos Jorge Ribeiro, usaram seu sobrenome, daí o nome "ribeiroi".
O mais interessante no Uberabatitan é que era um Titanosauridae, pelo seu grande peso, enormes dinossauros quadrúpedes, herbívoros que tinham nas costas pequenos caroços ósseos, calombos chamados de Osteodermes, provavelmente um meio de defesa, pois no período cretáceo carnívoros de grande porte eram abundantes, embora na América do Sul não fossem tantos quanto na do Norte e outros continentes.
O espécime é baseado em várias partes do corpo fossilizadas, contando com vértebras cervicais, dorsais, caudais e costelas e até partes do quadril. Em 1999 outros paleontólogos brasileiros descobriram duas vértebras e começaram uma descrição formal do animal, com estimativas de 15 a 20 metros de comprimento, o que seria o maior titanossauro brasileiro. Porém ao apresentar à uma revista especializada da Alemanha para a publicação, revisores do artigo decidiram negar a publicação julgando que as duas vértebras seriam insufucientes para uma descrição precisa e o nome Uberabasaurus que seria dado ao animal foi rejeitado. Resultado foi que as vértebras estão até hoje no museu exposta em local privilegiado, porém sem descrição. Ao publicarem o artigo sobre o Uberabatitan os paleontólogos começam a acreditar que as vértebras pertençam à mesma espécie ou a um parente muito próximo. 

O U. ribeiroi  tinha entre 15 e 20 metros de comprimento, cerca de 3,5 metros de altura e tinha um peso estimado entre 12 e 16 toneladas, o que mostra que era bem gordo e pesado para seu tamanho, e teria que ter grande força muscular para aguentar, e se defender de predadores.
 É bastante semelhante ao Baurutitan e ao Trigonosaurus, encontrados em formações rochosas semelhantes. Fósseis de três indivíduos dessa espécie foram descobertos em 2004, durante a realização das obras da duplicação da BR-050, rodovia que liga Brasília (DF) a Santos (SP), no trecho que passa por Uberaba. O trabalho de escavação dos fósseis foi concluído em 2006. Os técnicos escavaram 300 toneladas de rochas que datavam do período Cretáceo e Terciário, manualmente, para a retirada do material.

Fontes: Blog do Ikesaurus - http://www.ikessauro.com/ ; Wikipédia

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Puertassauro

O Puertassauro reuili cujo nome é em homenagem a seus descobridores Pablo Puerta e Santiago Reuil. Foi um grande dinossauro herbívoro e quadrúpede, que viveu há aproximadamente 70 milhões de anos atrás, no  final do período Cretáceo (Cretáceo Superior), pouco antes da extinção dos dinossauros que ocorreu há 65 milhões de anos atrás.
Segundo algumas descobertas, acredita-se que por seu grande tamanho de 40 metros de comprimento e 20 metros de altura (quase do tamanho de um Argentinossauro), sua era era de maior diversidade e tamanho, o que demonstra o porquê desse enorme animal sobreviver até o fim da era.
Ao julgar pelo seu enorme tamanho, que rivalizaria com o de outros saurópodes como Argentinossauro, Ultrassauro, Seismossauro, Amphicoelias e Sauroposeidon, assim como seu peso de 100 toneladas, e a forma de seu esqueleto, o Puertassauro provavelmente foi um dos dinossauros mais poderosos, rivalizando com outros enormes saurópodes até mesmo em força, pois para suportar seu grande peso, ele teria que ser forte, mas em compensação, meio lento como o resto.
O paleontólogo Fernando Novas chefiou a expedição que encontrou os restos fósseis, financiada pela americana National Geographic Society e pelas organizações científicas do governo argentino Conicet e Agência Nacional de Promoção Científica e fazer os estudos comparativos que levaram a determinar que se tratava de uma espécie desconhecida, e levou 5 anos.
Foram encontrados 4 vértebras de pescoço, do dorso e da cauda, sendo estes os restos mais austrais descobertos em toda a América. A descoberta ocorreu em 2001 no monte Los Hornos, perto do lago Viedma, em La Leona, na província de Santa Cruz nos Andes patagônios, 2800 km ao sul de Buenos Aires. 
A vértebra cervical encontrada mede 1,20 metro de comprimento por 1,40 de largura e uma primeira vértebra das costas tem 1,70 metros por 1 metro. A princípio, as duas superam em tamanho as peças similiares do Argentinossauro, sendo considerado um dos maiores animais terrestres que já existiram.

Nome: Puertassauro
Nome Científico: Puertasaurus reuili.
Tamanho: 40 metros de comprimento e 20 metros de altura.
Peso: Cerca de 100 toneladas.
Local: América do Sul
Época: Período Cretáceo Superior.
Alimentação: Herbívora.
Família: Titanosauridae

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Alectrossauro

O Alectrossauro foi um dinossauro que viveu no final do período Cretácio, e pertencia à família dos Tiranossauros. Viveu há aproximadamente 70 a 75 milhões de anos, no Campaniano e Mastrichtiano, onde hoje é a Ásia Central. O Alectrossauro era um carnívoro bípede com uma forma de corpo muito parecida com a de seu parente mais próximo, o Tiranossauro, apesar de ser muito mais pequeno, medindo 6 metros de comprimento e 3 metros de altura, pesando aproximadamente 500 kg. O nome "Alectrossauro", vem do grego "lagarto solitário". No momento de sua descoberta, era diferente de qualquer outro carnívoro asiático conhecido.
Sua primeira descoberta foi de um membro traseiro, descoberto na Formação Iren Dabasu, na região da Mongólia. A idade geológica desta formação não é clara. Estima-se que data-se de há aproximadamente 83 a 74 milhões de anos, no Cretáceo Superior.
Alguns paleontólogos consideram o Alectrossauros como uma espécie de Albertossauro (espécie que viveu na América do Norte, no final do período Cretáceo).

Dados do Dinossauro: 
Nome: Alectrossauro 
Nome Científico: Alectrosaurus olseni 
Época: Cretáceo, entre 90 à 70 milhões de anos atrás 
Local onde viveu: Ásia, China e Mongólia 
Peso: até 1,5 tonelada 
Tamanho: de 5 a 6 m de comprimento e 4 m de altura 
Alimentação: Carnívora

sábado, 10 de novembro de 2012

Concavenator

O Concavenator foi uma espécie de Terópode bípede que viveu há 130 milhões de anos atrás no início do período Cretáceo (Cretáceo Superior.
Ele media cerca de 4-6 metros de comprimento e tinha características únicas.
Ele possuía duas vértebras extremamente altas na frente dos quadris que formam uma crista de altura, mas estreita e pontiaguda (possivelmente apoiar uma corcova) nas costas do dinossauro. A função delas não são totalmente confirmadas, porém as especulações são que podiam servir como "monitores visuais" ou reguladores térmicos.
No membro anterior foi encontrados estruturas homólogas, vestígios de penas.
Reino: Animalia.
Filo: Chordata
Classe: Reptilia
Superordem: Dinosauria
Ordem: Saurischia
Subordem: Theropoda
Família: Carcharodontosauridae
Gênero: Concavenator
Espécie: Concavenator Corvatus

Evento - Dino Batalha (Votos Extras)

Deixe aqui seu comentário votando em outras espécies de dinossauros para vencer as pre-eliminares e participar das batalhas (limite de 10 dinossauros diferentes que não estejam na enquete)

Evento - Dino Batalha (Explicando)

Fala galera... Este é definitivamente o primeiro evento deste blog, eu acho.

E nele, irei criar uma "Dino-batalha" em que criarei uma enquete com os nomes dos supostos participantes, no caso dinossauros para votarem, como uma pre-eliminar e os 10 mais votados irão participar (e farei uma postagem para comentar outras espécies que queira).
Depois arranjarei uma forma de sortear e os escolhidos para a batalha, citarei em cada post, pedindo comentários sobre quem ganha e porque, como um debate e provavelmente irei participar também (putz grila, eu participando do próprio evento, lol)

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Avisos: 4/5

É isso aí, pessoal. Aqui acaba a 1º temporada da minha série, que achei que teria mais um episódio, mas infelizmente eu estava errado.

 Estou avisando isto porque podem ter reparado que desde que ela começou, só teve post dela, e esse post não serve só de aviso como também intervalo para outras postagens, eventos e as postagens normais, porque a segunda temporada será grande e não tenho previsão de quando vai chegar e nem decidi se terá uma 3º. Então depois do primeiro episódio da 2º temporada, provavelmente só irei postar depois que chegar pelo menos na metade da temporada , e postando semanalmente, para ter mais tempo ainda, porque está tendo muitos atrasos, e raramente posts em cima da hora.

A Recriação Dos Dinossauros - 1º Temporada - Episódio 11 - A Volta Ao Laboratório


A Recriação Dos Dinossauros
1º Temporada – Episódio 11 – A Volta Ao Laboratório
Nos episódios anteriores
Os sobreviventes finalmente chegam ao local onde poderiam restaurar a energia do parque e após conseguirem, são encurralados por um T-Rex que só não matara eles por causa de Chuck, se sacrificando para salvar seus amigos. A morte de Chuck só foi definitivamente útil durante alguns segundos, pelo fato do T-Rex os encontrar em repouso, e ser parado por um bando de Argentinossauros que caminhava pela floresta. Os sobreviventes após uma pequena discussão, decidem voltar ao laboratório através de uma jangada, que é destruída pelos dinossauros, fazendo-os ficarem impotentes perante á situação, mas por sorte de mais uma batalha, os sobreviventes são salvos e conseguem se aproximar ainda mais do laboratório.
----------------------------------
Steven: QUE BOM. (Dizia pulando de alegria com o braço direito posicionado para cima e o punho fechado.)
Nesse momento Rudy puxa Steven pela parte de trás camisa fazendo-o cair com tudo sentado, dizendo:
Rudy: Vamos sair antes que sejamos atacados.
Steven: Porra, isso doeu.
Nesse momento, todos são cercados por raptores que se preparavam para atacar.
Rudy: Estava com esperanças de que isso não voltaria a acontecer.
Steven: Pelo menos não foi minha culpa.
Stacy: Quantas vezes vou dizer que isso não tem nada a ver?
Jessie: Calem a boca, fale menos e faça mais. (Dizia sacando a arma e mirando nos raptores)
Todos fazem isso exceto Rudy e Steven.
Steven: Dá pra me soltar?
Rudy: Ah é mesmo, desculpe.
Steven rola no chão e se levantava rapidamente já com a arma sacada, enquanto Rudy a saca normalmente.
Rudy: Não é necessário fazer pose, Steven.
Jessie: O que foi que eu disse?!
Os raptores atacava os sobreviventes correndo em direção á eles tentando mordê-los, e nesse meio tempo os sobreviventes tentavam atirar mas não conseguia.
Steven: Que porra é essa?
Charlie: Merda, deve ter entrado água demais.
Steven: Droga, estávamos tão perto...
Rudy: F...
Rudy era impedido de falar no momento em que os Raptores pulam neles querendo mordê-los e enfiar suas garras também. Todos sacam suas facas e outros lanças, e acertavam eles no pescoço sendo um pouco feridos.
Stacy: Wow, parece que melhoramos.
Rudy: Acho que sim, mas só em combates corpo-a-corpo assim.
Steven: Talvez toda essa joça tenha servido de treinamento.
Stacy: De qualquer maneira, não quero mais me meter em coisas perigosas assim.
Rudy: Nem eu.
Steven: Agora que vi, são poucos raptores. Devemos sair daqui, não?
Rudy: Sim.
Todos saem correndo enquanto podem, tentando escapar de um raptor que logo aparecia e chamava os outros.
Charlie estava com os tênis desamarrados, e então com alguns movimentos mesmo sendo alcançado mais rápido, jogava os tênis nos raptores ao atrasando, e ainda correndo um pouquinho mais rápido, porém começando a se cansar.
Charlie: PAREM.
Steven: Que foi?
Charlie: Preciso descansar.
Steven: Ah, vai se fuder.
Rudy: Não precisa agir assim com ele não, mas Charlie, tenha agüentar mais um pouco.
Charlie: Falar é fácil, você não é velho.
Steven: Mas você é muito chato.
Charlie: Agora sabe como me sentia quando você brigava com o Chuck.
Steven: F...
Steven pegava no pulso de Charlie e começava a correr bem rápido ultrapassando aos outros e sem perceber a porta do laboratório a frente que se fechou com o vento em dias passados, bate a cabeça com tudo abrindo e caindo no chão junto com Charlie ficando sem reação.
Rudy: STEVEN. Steven, seu grande idiota.
Steven: R-Rudy, como você faz isso? M... Me ensina a criar clones. (dizia com uma voz de retardado após alguns segundos)
Rudy: O quê? Ah, entendi. Ele está bem, eu acho. (Dizia pegando ele e colocando nos ombros.
Charlie se levanta dizendo:
Charlie: Não sei como eu não bati na porta.
Todos entram no laboratório.
Rudy: Não se preocupe com fechar a porta, os raptores podem saber onde estamos mais facilmente além de que podemos chegar até o andar subterrâneo mais rápido.
Todos começam a descer as escadas.
Steven: E-estou voando, legal...
Stacy: Será que ele está bem mesmo?
Charlie: Merda.
Stacy: O que foi?
Charlie: Esqueci de dizer que essa porta é precisa uma senha para abrir, e eu a esqueci.
Stacy: Simples, vamos fazer como da última vez e descobrir a senha. Nós procuramos esqueletos com roupas para achar algum documento.
Charlie: Não podemos, a essa hora os raptores devem ter entrado aqui.
Steven: Charlie, você agora é de borracha?
Charlie: O quê?
Rudy: Liga não, ele ta meio tonto com a batida, e está dizendo coisas que está vendo, como por exemplo você ele acha que está se contorcendo.
Charlie: Ah.
Jessie/Stacy: Então trate de lembrar a senha.
Rudy: Sim, antes que os raptores venham, encurralados assim não teremos tantas chances, ainda mais feridos.
Steven: Charlie, está perdendo seus poderes?
Rudy: Ele ainda está doidão mas está se recuperando.
Steven: Rudy, você está se despedaçando? Você está voltando ao normal... Voltando ao normal... Voltando ao normal... Vol... O que aconteceu?
Charlie: Chegamos ao laboratório, estamos aqui mas estou tentando lembrar a senha dessa porcaria de porta, antes que os raptores cheguem e não podemos fazer a maneira de vocês anterior por este motivo.
Rudy: Steven, não sei se é um milagre ou você seja sobrenatural.
Steven: Por quê?
Nesse momento, todos escutam rugidos de raptores.
Rudy: Merda, estão chegando.
Stacy e Jessie até se abraçam de medo, e bem próximas a Rudy.
Steven: Já até sei onde isso vai dar.
Stacy e Jessie ofendidas dão um chute no queixo de Steven fazendo-o cuspir sangue e cair dos braços de Rudy e quase fraturar o corpo.
Steven: Eu só estava brincando. E pelo menos não precisei pedir pro Rudy me soltar.
Rudy: Pelo menos não precisei jogar você no chão.
Stacy: De qualquer maneira, só para constar, eu sou hetero.
Jessie: E a Stacy não faz meu tipo, e nem gosto dela, mas não sou lésbica, sou bi.
Charlie: CALEM A BOCA, DESSE JEITO NÃO POSSO ME CONCENTRAR, SEUS ... (começava a tossir)
Charlie: Ahhh...
Rudy/Steven/Stacy/Jessie: Lembrou?
Charlie: Bom, não exatamente... Eu lembrei de várias senhas, várias mesmo, só não sei qual.
Rudy/Steven/Stacy/Jessie: ENTÃO DIGITE TODAS.
Charlie: Calma.
Charlie começava a fazer isso, porém os raptores chegam.
Steven se levanta com um mortal fazendo uma posição de luta, porém acertando sem querer o cotovelo na boca de Rudy fazendo-o desiquilibrar.
Steven: Ow, foi mau ae.
Rudy limpa a boca com um pouco de sangue. Todos sacam as facas e lanças e começam a matar os raptores porém se machucando cada vez mais até não conseguirem mais lutar. (Rudy arremessa a lança contra um que foi fácil de acertar por terem vários em um corredor que facilitava o acerto do alvo pela falta de movimento, porém com o da frente de uma fileira morto, tinha mais movimento, então Stacy e Jessie atacam. Um raptor morde o braço de Jessie, fazendo-a soltar a faca, porém ela cai no chão fazendo um raptor pisar nela e se machucar um pouco, e nessa oportunidade Stacy mata um e Steven mata o que mordeu Stacy. Rudy pegava a lança de volta e se preparava, mais uma “renca” pulam neles machucando bastante e depois eles chutam os jogando um pouquinho longe e se levantando). Charle consegue abrir a porta.
Charlie: CONSEGUI. (tosse um pouco)
Todos se levantam e corre pulando para dentro do local onde tinha o barco antes dos raptores os pegarem e a porta se fecha, ao mesmo tempo todos gemendo de dor se levantando aos poucos.
Rudy: Acho que apanhamos que nem contra os Pterossauros, não é?
Stacy: Não exagera, mas estamos muito machucados.
Todos usam os últimos medicamentos que lhe restavam e se levantam.
Steven: Cadê o tal veículo? Não é aquele jipe não, né?
Charlie: Não seja idiota, ninguém iria tentar escapar da ilha com um jipe, afundaria no oceano.
Steven: E está ali pra quê?
Charlie diz sorrindo: Para nos levar até um lado da ilha praticamente impenetrável, lá está o barco. Há passagens pra chegar de boa lá.
Steven: Legal.
Stacy: Eu dirijo. Mas onde está?
Steven aponta com o dedo dizendo: Ali.
Stacy: Não sei como conseguiu ver nesse escuro.
Charlie acende as luzes dizendo: Assim está melhor.
Stacy: Sim.
Todos montam no jipe e Stacy vai dirigindo.
Stacy: É só seguir reto, né?
Charlie: Acho que sim, mas mesmo se eu estiver errado, não vai ter problemas pra chegar lá.
Steven: Charlie, por que é impenetrável?
Charlie: Há montanhas menores por lá e só não foram vistas perto do laboratório porque lá tem neblinas, e fica em outra parte da ilha, na praia, não colocaríamos o barco pra andar na terra.
Rudy: Pensando bem é verdade, não vimos nem de cima da montanha grande, ou nem reparamos.
Stacy: Já que ninguém mais vai usar esse jipe e é nossa primeira e última vez nessa maldita ilha, vou ir com tudo mesmo que acabe toda a gasolina. (Diz pisando no acelerador com tudo e mudando as marchas na alavanca)
Depois de alguns minutos, chegam a superfície por um morro com passagens abertas até a superfície e a gasolina acaba.
Stacy: A gasolina acabou, mas pelo menos chegamos.
Charlie: Você diz isso, mas ainda falta mais um pouco. E cuidado, aqui tem grandes predadores, só não me lembro quais.
Stacy: Mas mal nos recuperamos, e não queremos esperar.
Steven: E vai tentar se lembrar disso também?
Rudy: Já que é assim, vamos indo andando mexendo nas armas até conseguir poder usa-lás.
Todos vão fazendo isso até dar certo, e recarregam as armas.
Rudy diz com uma voz baixa: Xiiiu... Vamos sorrateiramente para não atrair predadores do jeito que isso está calmo, só o barulho das armas deve ter levantado suspeitas.
Era tarde demais para ter tanto cuidado, que ainda poderia ser considerado pouco, e guiado pelo som e a neblina se desfazendo aos poucos, um Eustreptospondylus aparece rugindo.
Rudy: Era o que eu temia.
Steven: Não é grande como eu imaginava...
Rudy: Não seja ignorante, nem com nossas armas podemos detê-lo, vamos fugir.
Todos saem correndo e tentam fugir e quando começam a ficar cansados, chegam ao barco para escapar da ilha, todos sobem.
Steven: NÃO VAI DAR TEMPO.
Rudy: ATIREEEEM...
Todos começam a atirar para atrasá-lo um pouco.
Rudy: STACY, PEGA O COMANDO DO BARCO, RÁPIDO.
Stacy: Certo.
Stacy vai até uma cabine para ligá-lo e o Eustreptospondylus mesmo impedindo de abocanhar alguém, da uma cabeçada jogando vários contra a parede da cabine fazendo eles soltarem as armas com a queda, e Charlie chega a desmaiar por alguns minutos e no momento em que o terópode se prepara, para atacar novamente, dessa vez com uma mordida, Stacy finalmente liga o barco e o faz começar a andar para escapar da ilha. Steven se levanta com a mão na cabeça.
Steven: FINALMENTE ESCAPAMOS, CHUPA. (dizia mostrando o dedo do meio em direção à ilha)
Rudy: Você realmente se recuperou daquela batida?
Charlie acorda coçando a cabeça dizendo:
Charlie: O que aconteceu?
Steven: Aconteceu. Nós escapamos finalmente daquela ilha maldita, olhe para lá e verá ela. (aponta com o dedo)
Charlie: Hum...
Steven: Que foi? Parece desanimado com isso.
Charlie: Não... É só...

Charlie começa a caminhar pelo barco disfarçadamente e quando Rudy se levanta, logo agarra ele por trás com um braço colocando em volta do pescoço e com outro segurando sua arma e apontando para a cabeça dele, assim, usando-o como refém.

 

Steven: Que porra é essa?

 

Charlie: Eu pareci desanimado porque iria ser preso logo tão rápido, e não quero isso, então estou fazendo isso, porque quero voltar a viver com minha família, e se tentarem impedir isto, matarei Rudy.

 

Jessie estava descansando com ambos braços atrás da cabeça, ainda no chão pensando sobre algumas coisas recentes, mas se levanta rapidamente apontando a arma para Charlie. Stacy ouvindo algo estranho, saia da cabine para  ver o que estava acontecendo e se assusta.

 

Stacy: O que está acontecendo aqui?

Steven: Charlie não quer ser preso, e para não impedirmos ele de ser livre, ele está usando o Rudy como refém.

 

Rudy permanecia quieto.

 

Charlie: O que foi, não quer uma oportunidade de últimas palavras? Porque pelo visto seus amigos não estão cooperando.

 

Steven: Charlie, embora conheceste você a tão pouco tempo, pude saber que você não é assim, tanto medo de ir para cadeia? Podemos te deixar longe de outros presidiários e ainda te deixar em um período relativamente curto.

 

Charlie: Cale a boca.

 

Rudy: Mais um motivo para ir a cadeia, e eu achando que você não fez quase nada...

Nesse momento, Rudy pisa no pé de Charlie com toda sua força, fazendo-o soltar e no momento que vai ameaçar quebrar seu braço para fazê-lo soltar a arma, Charlie tenta atirar e todos fecham os olhos de medo. Charlie sorri mas a arma trava.

 

Charlie: I-impossível.

 

Steven começa a rir dizendo: Ahahahaha, seu plano deu errado.

 

Steven Chuta a cara de Charlie com toda a sua força e Rudy até o solta, fazendo com que ele voe para a cerca do barco e cair. Rudy corre até Charlie e o segura no pé para não deixar ele cair.

 

Charlie: Podem me salvar?

 

Rudy começa a ter dificuldades e a soltar aos poucos.

 

Rudy: Steven, me ajude.

 

Steven: Certo.

 

Rudy e Steven tiram o Charlie dali porém algumas gotas de sangue da boca de Charlie cai no mar por causa do chute que recebera de Steven, começando a atrair predadores.

 

Charlie: Droga, perdi a cabeça. Me desculpem e podem me prender.

 

Rudy: Já que você não serve mais para nada, poderíamos jogar você no mar, mas te prenderemos como prometido e porque salvando você seria um ato em vão, não somos maus, e para você sofrer na cadeia.

Charlie: Mas eu não ia ficar na solitária?

 

Rudy: Lá se sofre também.

 

Stacy: Maldito Charlie, não pude fazer nada porque fiquei em choque. Só não te bato porque... Porque vou continuar a dirigir o barco antes que apareça algum predador, mas quando voltarmos você até pedirá para ir para a cadeia.

 

Jessie: E eu fiquei pensando no que fazer.

 

Nesse momento, o barco treme e balança fazendo todos caírem.

 

Steven: O que é isso agora?

 

Surgem 3 Plesiosaurus na superfície, um de cada lado.

 

Charlie: Droga, esqueci de avisar que aqui é cheio de predadores.

 

De raiva, todos nocauteiam o Charlie com um golpe na cabeça.

 

Steven: Como será que nos encontrou assim?

 

Jessie: Não é esse sangue não?

 

Steven: É mesmo. Droga, não devíamos bater no Charlie agora.

 

Jessie: Não foi isso que o fez sangrar.

 

Steven: Mas quem mais irá dizer se esse barco tem armas ou não?

 

Todos se levantam e se escondem na cabine levando Charlie, para se protegerem dos ataques dos Plesiosaurus.

 

Steven: Estamos encurralados. Rudy, pense em uma estratégia.

 

Rudy: Falar é fácil.

 

Stacy: Escutaram isso?

 

Steven: O que, você peidou?

 

Stacy: Não é isso, idiota. (diz dando um tapa na cara dele).

 

Rudy: O que? Algo parecido com um helicóptero?

Stacy: Isso.

 

Os Plesiosaurus destruíam a cabine deixando os sobreviventes expostos e indefesos.

 

Rudy: Por enquanto só posso fazer isso...

 

Rudy encontra uma granada Flashbang e joga dizendo:

 

Rudy: FECHEM OS OLHOS.

 

Os outros fazem enquanto os Plesiosaurus cegados urram mais do que já faziam.

 

Stacy: Merda, agora eles vão nos matar é com esse barulho infernal.

 

Chefe: Rudy, pessoal. São vocês aí?

 

Rudy: Essa voz é do...

 

Todos dizem ao mesmo tempo: CHEFE...?

 

Chefe: Estive preocupado com vocês e vim pessoalmente, junto com meus ajudantes, é claro.

 

Logo eles jogavam uma escada de corda para eles subirem. Todos iam subindo e conseguem, até mesmo Steven que ia carregando Charlie. Porém, na vez de Jessie, os Plesiosaurus recuperam a visão e pegam Jessie, a matando e devorando.

 

Steven: JESSIE.

 

O helicóptero partia, e todos lamentavam a morte de mais um ente querido.

 

Rudy: Droga, isso foi imprevisível. E chefe, como não foi afetado pelo Flashbang? Ele foi lançado bem depois do barulho do helicóptero.

 

Chefe: Não reparou que eu vim de óculos escuro?

 

Charlie acorda.

 

Charlie: Desmaiei denovo, e... Quem são esses? Seus colegas, fudeu.

 

Stacy: De qualquer forma, não acredito que estamos voltando. Mal posso esperar para chegar em casa e tomar um banho demorado.

 

Steven: E eu jogar vídeo-game.

Chefe: E o trabalho de vocês?

 

Rudy: Chefe, você não sabe pelo o que passamos, no mínimo devíamos ter uma folga de algumas semanas, até porque sobreviver a uma ilha com dinossauros e tudo mais é um feito notável.

 

Chefe: Ok, ok.

 

Charlie: Preciso de um advogado.

 


 

                -------- Fim do episódio 11 -------

(Criado e escrito por Gustavo Diniz Caetano)

domingo, 28 de outubro de 2012

A Recriação Dos Dinossauros 1º Temporada – Episódio 10 - A Energia Do Parque É Finalmente Restaurada


(Faz muuuuito tempo que não posto um ep. da minha série, e aqui está, desculpe a demora, estive com preguiça, falta de inspiração, esquecendo e ainda viciando em jogos e animes e espero não me atrasar e ainda acabar essa merda antes do fim do mundo kk)

A Recriação Dos Dinossauros
1º Temporada – Episódio 10 - A Energia Do Parque É Finalmente Restaurada
Nos episódios anteriores:
Rudy, Chuck e Stacy acordam e um pouco discutam com Charlie, mas logo após Stacy e Charlie vão para a margem do rio esperando Steven e Jessie enquanto Rudy e Chuck caçam e trazem um Avaceratops. Pela forte ventania, uma fogueira não pôde ser acesa, tendo que comer cru. Após comerem, se lavam no rio para não atraírem predadores, mas de nada adianta já que um T-Rex foi atraído pelo cheio antes disso. Enquanto isso Steven e Jessie acordam, e decidem subir o rio. Os outros são forçados a pular nele e após se encontrarem, Steven e Jessie voltam e destraem o T-Rex tacando pedras e gritando.  Antes de sua fuga, o T-Rex da uma rabada jogando alguns no rio e outros do outro lado dele. Porém, com mais distrações conseguem fugir e após a aparição de 2 Carnotauros, acontece uma briga entre eles e o T-Rex, enquanto os sobreviventes fogem. Os sobreviventes convesam e após o descanço, Steven e Jessie vão caçar enquanto Rudy fazia outra lança porque dara a antiga a Steven. Após comerem, surgem alguns raptores. Com a morte da maioria, o último foge para chamar reforço, enquanto os sobreviventes fogem. Mais raptores aparecem e após a morte de todos, surge um Ceratossauro que foi atraído pelo sangue e os sons dos tiros, e a fogueira ainda acesa. Eles despistam o Ceratossauro num solo frágil, em que ele caiu e morreu.  Mais raptores surgem, porém acabam com o mesmo destino dos outros. Após uma discussão, Rudy deixa Chuck como sub-líder para casos extremos e continuam indo em frente para chegar ao local já avistado.
----------------------------------
Continuando com sua jornada, os sobreviventes aproximam-se cada vez mais do local a cada segundo, tendo alguns impacientes reclamando.
Steven: Vamos logo com isso, paciência não cabe mais a mim no momento.
Charlie: Imagine eu, estou esperando anos sair desse inferno, você está aqui só a alguns dias.
Steven: Mas você será preso.
Charlie: Mas a cadeia é mais segura do que aqui.
Stacy: Entendo a impaciência de vocês, mas acalme-se, chegaremos logo. Até antes vocês não estavam quase nem aí. E depois, não podemos ir mais rápido.
Steven: É porque quando soube que o local já não estava muito longe, além de ter ainda mais esperanças, achei que estava mais perto, eu não tive a chance de vê-lo como você e Charlie. E como não? Estamos andando, mas podemos correr.
Stacy: Cansaríamos atoa,porque está perto.
Jessie: Eu concordo com o Steven, temos que ir mais rápido, embora eu podendo esperar.
Steven: Mas eu não posso.
Charlie: Nem eu.
Rudy: Mas eu posso.
Chuck: Eu também.
Steven: Continue andando.
Rudy: Steven, pára.
Steven: O que foi?
Rudy: Está tendo brigas demais entre você e Chuck e você que está começando-as.
Stacy: É, e se ele não parar, mudará para uma briga entre eu e ele.
Steven: Tá...
Eles finalmente chegam ao local.
Rudy: Chegamos.
Chuck: Chegamos?
Steven: Até que enfim e nem demorou tanto, parece que esse papo me distraiu bastante.
Stacy: Agora que vi melhor, esse local é meio estranho.
Charlie entra empurrar a porta mas não consegue.
Charlie: Droga, essa merda está cheia de cipó e está enferrujada.
Chuck: Não se preocupe, dou um jeito.
Chuck tenta abrir a porta batendo com tudo o ombro mas não adianta muito.
Steven com um jeito meio exibido:
Steven: Chuck, Chuck. Se quer abrir uma porta dessas, tem que chutá-la. Um chute na fechadura tem mais impacto do que bater com o ombro, deixa eu mostrar. Licença todos.
Todos se afastam. Steven posiciona-se e chuta a porta com tudo com a sola do pé esquerdo abrindo-a.
Steven: Viu só?
Chuck: Não fique se achando, só conseguira porque a minha ombrada deixou ela meio fraca o suficiente para você poder abrir.
Steven: Ah, cale a boca, meu chute é muito melhor que sua ombrada.
Rudy se aproxima empurrando ambos para trás com as mãos abrindo caminho e entrando lá.
Charlie vai até ele dizendo.
Charlie: Ei, não meche em nada, não vai querer ferrar mais com o parque né?
Rudy: O quê? Só estou olhando.
Charlie: Que seja, agora sai, sai para eu mecher aqui.
Stacy: Espero que consiga.
Charlie: Que nada, eu vou conseguir.
Jessie/Chuck/Steven/Stacy: Bom mesmo.
Charlie: Vish... Puta que pariu... Me distraindo desse jeito que eu não vou conseguir mesmo, fiquem quietos. Duvidando de mim assim...
Steven: Vai logo.
Jessie/Stacy: É.
Charlie: Calmem, caralho.
Charlie começava a mecher primeiramente pegando seu cartão, passando num painel que logo após se abre exibindo um outro que precisava de uma senha. Charlie digita a senha e logo ao lado abria uma porta e dentro dela haviam alavancas com próximo a ela escritas das coisas do parque que haviam parado de funcionar. O mesmo puxa todas fazendo a energia do parque restaurar-se.
Steven: Já?
Charlie: Já...
Steven: AEEEEEEEEEEEEE...
Todos se abraçam de alegria.
Charlie: Mas não acabou, precisamos ainda voltar para o laboratório.
Steven: Ah, deixa a gente ser feliz, seu velho.
Nesse momento, aparece um Tiranossauro Rex e todos vão para dentro.
Steven: Merda, tinha que ser no melhor momento?
Rudy: Estamos encurralados, não há como escapar dessa vez, droga.
Chuck vai um pouco para a frente dos outros olhando para trás e sorrindo.
Rudy: C-Chuck... O que está pensando em fazer?
Chuck: Desde que a Joyce morreu, Alvin também, eu embora querendo sair vivo dessa merda de ilha, ainda sim não tava com tanta vontade assim de viver. Mas isso não é tudo, principalmente não fui ou fiz coisas importantes, então vou compensar sacrificando minha vida para salvar todos vocês.
Rudy: Você está brincando né? Cara, você foi importante sim no grupo, ajudou bastante, e você encontrará outra pessoa na sua vida, é só esperar, vamos conseguir sair e ficar em paz.
Steven: É e, com quem eu vou ficar discutindo?
Stacy: E mesmo se não for muito útil, você completa o grupo, pois é alguém que gostamos de ter nele.
Chuck ignora e diz:
Chuck: Adeus amigos, cuide-se todos.
Chuck sai correndo do local atraindo a atenção do Tiranossauro.
Chuck: AQUI DESGRAÇADO, VEM ME PEGAR, ESTOU MAIS PRÓXIMO. E VOCÊS, FUJAM ENQUANTO HÁ TEMPO, NÃO DEIXAM QUE MINHA MORTE SEJA EM VÃOOOO...
Steven: Não, volta, filho da puta.
Rudy: Droga, não deu para impedi-lo. Mas vou dar uma última mensagem... CHUUUUUUUCK, NÓS NUNCA VAMOS TE ESQUECEEEEEEEER.
Chuck faz um sinal de positivo e é devorado pelo Tiranossauro.
Rudy: Rápido, vamos fugir.
Todos fogem e despistam o T-Rex enquanto lamentam a morte de Chuck. Após isso eles param para descançar e desabafar.
Charlie: Não sou um fui muito amigo dele mas ele não merecia a morte.
Steven: É, e embora a gente sempre brigando, eu adorava ele.
Jessie: Ele antes de morrer disse que ficou mal pela morte de Joyce e Alvin, nem sei porque não falou do Robert.
Steven: Talvez ele não gostava dele, vocês eu não sei mas eu também não, cara ignorante...
Stacy: Pelo menos a morte dele não foi em vão, conseguimos nos salvar.
Rudy: E também aprendemos uma lição.
Todos dizem “Qual?”
Rudy: Que devemos nos proteger melhor para não ficarmos encurralados e ter que se sacrificar para salvar os outros, não podemos perder mais de nós.
Stacy: É, perdemos mais um que era especial para nós.
Jessie: Ele era especial para mim também, até porque foi com ele que eu deixei de ser virgem.
Todos olham pra Jessie.
Jessie: Ei, não olhem pra mim desse jeito não, não é o que estão pensando, foi só um beijo, outro tipo de coisa, to falando disso.
Rudy: Ah bom...
Steven: Ah...
Jessie: O que vocês pensaram ser, foi com uma na faculdade quando eu tava experimentando.
Todos olham pra Jessie novamente.
Jessie: Não me estranhem, só tava brincando.
Rudy: Já descansamos, não há motivo para ficarmos aqui. A morte de Chuck não foi em vão por enquanto, devemos ir enquanto há tempo, aquele T-Rex ainda deve estar com fome, acabou de devorar Chuck, provavelmente está nos procurando e pode nos achar a qualquer momento.
Charlie: Era o que eu ia dizer.
Steven: Mas o Rudy falou primeiro.
Charlie: Ah, fala sério. Agora é comigo que vai ficar discutindo?
O Tiranossauro logo os encontra.
Rudy: Droga, vamos fugir.
Todos imediatamente correm do Tiranossauro com intenção de fugir, com um tipo de desespero meio raro, pois alguns de seus colegas morreram e naquele momento foi forte conseguir fugir, provavelmente não teriam mais uma chance, até que se deparam com um bando de Argentinossauros caminhando em um grande caminho entre 2 florestas.
Rudy: Argentinossauros!? Boa.
O Tiranossauro sabendo que poderiam fugir novamente, acelerava seu ritmo de correr logo os alcançando, enquanto os outros teriam que passar com cuidado para não ser pisoteados pelos Argentinossauros até porque o tremor no chão causado pelo peso dos passos poderiam desiquilibrar.. Porém, os Argentinossauros vendo um Tiranossauro se aproximando, se  sentiam provocados pensando que seria a presa, mas parava e ficava numa posição se preparando para se defender. O Tiranossauro se comportava de maneira estranha, se afastando um pouco rugindo diferente, e ia embora intimidado. Os Argentinossauros já voltando a calma, parava de manter sua posição, movendo a calda e estava perto de uma árvore, sem querer a golpeando e derrubando em frente aos sobreviventes, que tropeçavam após a poeira os atrapalhar, com passos pesados de vários Argentinossauros indo embora e continuando a caminhar. Stacy percebe que Charlie sem querer cai em cima dela, e a mesma o afastava chutando sua boca, fazendo até sangrar, dizendo:
Stacy: Seu tarado.
Charlie: Foi sem querer.
Steven: Ooh... Eu não deixava.
Rudy se levanta e ergue Charlie puxando pela cueca dizendo:
Rudy: Seu tarado.
Charlie grita de dor igual mulher e diz novamente:
Charlie: Foi sem querer, porra.
Jessie: Ahahahahahahaha...
Rudy solta mas tropeça e cai novamente, nesse momento, o último Argentinossauro se virava para acompanhar a manda e quase acerta Rudy.
Rudy: Ainda bem que cai, pode haver outros, vamos ir rastejando até fora do alcance.
Todos faziam isso e se levantam, olhando pra trás.
Steven: Ué, cadê os outros?
Stacy: Parece que aquele era o último.
Jessie: Fizemos isso atoa.
Rudy: Mas previnir também é bom.
Eles continuavam a andar, mas enquanto isso, Charlie para no meio do caminho tossindo sangue.
Steven: Você está bem?
Charlie: Mas é claro que não, eu tossi sangue, acha que é um bom sinal?
Steven: Calma, só quis ser gentil.
Charlie: Então quer dizer que antes não queria, e que mal se importa?
Stacy: O que há com você? Está muito estranho.
Charlie: Eu não ando me sentindo bem, talvez não tenham reparado que ando mais devagar. Eu estou velho, não suporto tanta correria como vocês, jovens. E estou ficando louco com isso, neste momento perdi minha paciência com essa merda e quase surtei.
Rudy: Entendo. Vamos andar num ritmo mais calmo, então. Mas sem lerdeza, esse sangue vai atrair outros predadores ainda mais rápido.
Steven: Uma pergunta. Para voltar ao laboratório, a gente não teria que voltar? Estamos seguindo em frente mesmo depois de restaurar a energia.
Charlie: O caminho mais fácil, perto do território de Carnotauro foi cobrido com terra, e foi destruído também, se tentar voltar, pode ser difícil, além de a gente já andar bastante a partir do local onde restauramos a energia do parque, deve ter algum atalho aqui. (Dizia com uma voz meio roca comparada a de antes)
Stacy: Tanto faz, só queremos voltar pra lá, e depois fugir desta ilha maldita.
Jessie: Concordo com a Stacy.
Steven: Então o caminho que devemos tomar é voltando mesmo.
Charlie: Não prestou atenção no que eu disse? Mencionei... (tosse um pouco) que poderia haver algum atalho por aqui, e que já andamos demais a partir do local da restauração, demoraria mais.
Steven: Vamos mais rápido.
Charlie: Como? Eu já não agüento mais, sou um fardo pra vocês.
Steven: Não é verdade. Você nos ajuda a sair e em compensação te ajudamos a sobreviver.
Charlie: Mas você tem alguma ideia de como chegar voltando?
Jessie: Sem querer interferir...
Charlie: Não se preocupe, sua opinião sobre de como voltar é bem-vinda, apesar dos mais inteligentes fora eu serem o Rudy e a Stacy, sem ofenças.
Jessie: Não ofendeu, mas sem querer mudar de assunto também, mas não é só os mais jovens sendo educados com os mais velhos, vice-versa também é bom, digo isso porque me interrompeu.
Charlie: Ah, me desculpe, mas qual sua ideia?
Jessie: Pensei em... Agora que pensei melhor enquanto ia dizendo, não tem lógica minha ideia, desculpe atrapalhar.
Charlie: O que é?
Jessie: Arranjar um jeito de visualizar algum lugar que possa nos ajudar. Tipo subir num lugar alto, e tentar avistar alguma instalação qualquer que não “visitamos” ainda.
Charlie: Não me lembro de nenhum outro lugar daqui, deve ter atalhos, mas como vamos saber que é um? E aqui não tem lugares tão altos pra observar um grande diâmetro da ilha, as árvores por exemplo tem tamanhos semelhantes, e não vamos andar pra encontrar algo mais alto.
Jessie: Bem, eu...
Steven nesse momento tampa com as 2 mãos a boca tentando segurar a risada.
Jessie: Está rindo de que?
Steven: Nada não, continue.
Jessie: Tem uma ideia melhor, Sr. “sabichão”?
Steven: Ér... Não. Mas Charlie tem razão e ainda reparei nisso também. (diz de uma maneira meio estranha quase rindo)
Steven não consegue se conter e começa a rir, mas para no mesmo momento em que Jessie o olha com uma expressão de raiva no rosto, e ele vai atrás de Rudy.
Stacy: Pensei em procurar algum veículo, mas melhor não perdemos tempo.
Rudy: É ISSO. (Diz levantando a mão)
Stacy: Falei alguma coisa?
Steven: Está pensando o mesmo que eu?
Rudy: Charlie, tem algum rio grande por aqui?
Charlie: Tem, não me digam que...
Stacy: Agora entendi...
Rudy/Stacy/Steven: Vamos numa jangada.
Charlie: Vamos amanhã, vai escurecer daqui a algumas horas, só temos tempo para construir e depois ir dormir.
Jessie: Mas...
Steven: Você além de não ser considerada mais inteligente segundo o Charlie, sua última ideia foi... (se interrompe começando a rir um pouco)
Jessie: Só não te bato porque... Não vou mudar de assunto, as árvores daqui são grandes, como vamos pegar madeira pra construir uma?
Steven: Retiro o que eu disse.
Rudy: Será que podemos pegar dos galhos?
Jessie: Está muito no alto. Não alcançamos, e subir será trabalhoso.
Rudy: É aí que está o problema, mas só precisamos pensar mais um pouco e subir.
Steven: Cipós?
Rudy: Isso. Mas onde vamos arranjar? Não to vendo nenhuma árvore com cipó.
Steven: Vamos procurar.
Stacy: Mas é algo que estamos tentando evitar.
Charlie: O tempo que gastamos continuando essa discussão, serviria para encontrar recursos, para construir, e não temos tempo pra enrolar mais um pouco, vamos procurar.
Até o cair do dia, todos á procura dos cipós conseguem achar, escalar árvores e pegar galhos, para amarrar e fazer uma jangada. Após o término, vão dormir no restante que usaram para fazer uma pequena cabana e não podiam desperdiçar, mesmo com dificuldade e reclamações. Todos acordam coçando os olhos e se espreguiçando, bocejando e dizendo:
Rudy: Dormiram bem? Suponho que não.
Stacy: Mas é claro que não, acertou na mosca.
Steven: Chega desse papo chato, vamos empurrar a jangada até o rio, e partir.
A cabana era inacabada, mas mal poderiam ver a fora, por isso saiam com pouca dificuldade rapidamente mudando a expressão facial diante daquele acontecimento, viam a jangada destruída.
Steven: Droga, e o trabalho que tivemos pra construir isso?
Rudy: Você não fez quase nada.
Steven: Isso porque Charlie também não fez.
Rudy: O cara está mais velho que a ilha, não é culpa dele.
Charlie: Valeu pelo elogio. (diz ironicamente com uma voz meio irritada)
Steven: E daí? Eu estava com muita fome, não conseguia me concentrar.
Rudy: A propósito, Charlie. O rio fica muito longe?
Charlie: Não muito, eu com meu porte físico chegaria a metade em vários minutos.
Steven diz batendo palma chamando os outros para irem:
Steven: Vamos que está pertinho.
Charlie: Por que você faz isso?
Stacy: Está esquecendo de uma coisa...
Steven: O quê? Ah...
Stacy/Jessie: A jangada...
Rudy: Como Charlie disse ontem, não podemos perder tempo, e agora que já tem tudo preparado, vai levar menos tempo.
Steven: Só queria saber quem foi o cretino que pisoteou enquanto dormíamos.
Rudy; Não faz diferença, vamos logo.
Todos reconstroem, com mais dificuldade do que pensariam já que estava danificada as partes.
Rudy: Até que enfim. (dizia limpando com o braço direito o suor na testa e terminando com uma voz aliviada)
Steven: Mas eu to com fome. (dizia colocando as mãos sobre o estomago quase abraçando)
Rudy: Quando chegarmos lá, procuramos o que comer. Também estou com fome, mas não to me queixando como você.
Charlie: Ajudem aqui. (dizia Charlie com uma voz meio forçada por estar se esforçando empurrando um pouco a jangada)
Todos chegam ao rio, empurrando a jangada e entram com cuidado, cansados, deixam ser levados pela correnteza até que mudam quando avistam um Suchomimus pescando, que ainda com fome, por sinal.
Steven: Agora fudeu.
Rudy/Charlie: Um Suchomimus.
 O terópode saia da margem do rio entrando nele com tudo fazendo ondas que balançavam a jangada, antes de qualquer outra ação, e depois tentava morder mas enroscava-se em pedras apenas cabeceando-a, fazendo ela bater em uma pedra e quebrar, conseqüente mente fazendo todos caírem e serem levados. O Suchomimus escapava e continuava perseguindo, mais rápido do que antes. Todos começam a se afogar,  até que um Sarcosuchus preparado para pegá-los e não tinha percebido o Suchomimus, percebendo, mordia as costelas do terópode fazendo-o urrar de dor, já que era melhor do que algumas pessoas, enquanto os sobreviventes eram levados pela correnteza, e como estavam á salvos, dava tempo de se agarrarem aos pedaços que sobraram da jangada. Enquanto isso, o Suchomimus tentava escapar, mas o Sarcosuchus forçava ainda mais a mordida, e depois soltava, mordendo logo após no pescoço, o matando, e depois começando a devorar. Os sobreviventes são levados para uma parte do rio onde tinha muitas rochas, o que impedia de continuarem daquela maneira. Logo eles sobem nelas, e saem do rio.
Steven: Suchomimus filho da puta, me deu um puta de um susto.
Charlie: E eu estou velho, eu podia morrer de susto mais fácil do que afogado. (dizia com uma voz ainda mais roca tossindo um pouco)
Rudy: Vejam pelo lado bom. O Sarcosuchus que apareceu foi atacar o Suchomimus por ele ser maior, ser uma refeição melhor. Se ele não tivesse aparecido, o Sarcosuchus iria nos matar.
Steven: É mesmo, vou começar daqui em diante ver o lado bom das coisas sempre que for atacado, não quero me irritar assim novamente. E também não quero mais esperar para chegar ao laboratório.
Charlie: Um de seus problemas acabaram. Estamos bem perto do laboratório. (dizia já com a voz um pouco melhorada)

                -------- Fim do episódio 10 -------
(Criado e escrito por Gustavo Diniz Caetano)